4 de outubro de 2019 jesianerocha 0Comment

A jornalista Nayara Cavalcanti lança, nesta sexta-feira (4), o livro “Lídio Cavalcanti – Cidadão feito de arte”. A obra conta a trajetória do radialista, poeta e folclorista Lídio Cavalcanti e começou a ser escrito quando Nayara, que é neta de Lídio, ainda cursava jornalismo. A publicação de 270 páginas, contou com diagramação do jornalista Jhonny Pequeno e ilustração de Mário Júnior. O evento será no Museu do Barro de Caruaru, às 19h.

 

Autora da obra e neta de Lídio Cavalcanti, jornalista Nayara Cavalcanti

 

Lídio Cavalcanti

(Texto: jornalista Renata Torres)

Lídio Bezerra Cavalcanti nasceu em 4 de agosto de 1928 em Garanhuns, ele chegou a Caruaru em 1950 para passar dois meses que se transformaram em 50 anos.

Essa vinda foi como funcionário das Casas José Araújo. De microfone nas mãos, dava nomes aos panos e atraía os fregueses que por ali passavam. Sua fama ganhou as ruas e Lídio foi convidado para atuar no radio da cidade.

Foi funcionário da Rádio Cultura do Nordeste, chegando a fazer “A Novela no Radio”. Depois foi convidado para fazer parte em 1965, da Rádio Liberdade, apresentando o programa BRASIL CABOCLO, um show de cultura popular.

Lídio tem o mérito de ter criado, em 1967, o programa de maior expressão cultural do rádio caruaruense de todos os tempos – AGRESTE EM FESTA, a maior festa do Agreste. Trabalhou também na Rádio Difusora de Caruaru.

Foi Lídio, que organizou a primeira caravana multicultural, que saía no período junino percorrendo vilas e lugarejos e realizando os concursos de ruas. Idealizou, também, o Festival de Fogueteiros e Baloeiros, a Novena de Maria Rezadeira e a Festa do Umbú, no Morro do Bom Jesus. Depois de muitos anos de trabalho, em 1974, recebeu o título de Cidadão Caruaruense. Em 1986, Lídio Cavalcanti encerrou sua vida de radialista, deixando milhares de fãs órfãos de um apresentador de sensibilidade humana e cultural.

Em 1998, na gestão do prefeito João Lyra Neto, recebeu seu maior prêmio: a homenagem no São João de Caruaru, fazendo questão de estar todas as noites, no Parque de Eventos Luiz Lua Gonzaga. Em 1999 criou, com seu amigo e compadre, o cordelista Olegário Fernandes, o Museu do Cordel, espaço na Feira de Caruru, que até hoje é ponto de encontro dos poetas de várias gerações. Lídio Cavalcanti, amava Caruaru. Ele deixou escritos dez livros para serem editados, todos falando sobre a cidade, seu amor maior.

 

Serviço

Lançamento do livro: “Lídio Cavalcanti – Cidadão feito de arte”

Dia:  4/10 – Sexta- feira 

Hora: 19h

Local: Museu do Barro de Caruaru

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *